abadia de westminster

a igreja das coroações e dos casamentos reais

À primeira vista a Abadia de Westminster pode ser considerada mais uma igreja na paisagem londrina. No entanto, à medida em que você vai conhecendo um pouco da história, entende porque ela é bem mais que um templo onde são realizadas cerimônias religiosas. Ao longo do tempo, ela se tornou no centro do poder religioso no Reino Unido e um dos principais pontos turísticos da capital inglesa. Agora, na companhia da nossa Guia de Turismo Blue Badge, Vania Gay, chegou a hora de você saber mais sobre Westminster Abbey, como parte da nossa série sobre a região de Londres onde o poder está concentrado.

abadia de westmnster

Abadia de Westminster – Centro do Poder Religioso

Vania começa a apresentação deste lugar tão especial pelo lado norte da igreja. É por onde entram turistas do mundo inteiro que visitam a Westminster Abbey. Neste lado também é possível ver a parte mais antiga da igreja, no que diz respeito à sua arquitetura. Construída em estilo gótico no século XIII, pelo Rei Henrique III, é um dos maiores patrimônios arquitetônicos do país. Mesmo assim não é parte da primeira construção. Ela substitui a abadia original, demolida em 1065. Ao lado esquerdo de quem está de frente para a entrada, fica a St Margaret’s Church, a Igreja da Casa dos Comuns. É a igreja onde o Primeiro Ministro Winston Churchill casou. Construída no século XVI, pode ser considerada nova em relação à Abadia e, ao contrário desta, você não paga para visitar.

westminster abbey

Vania Gay

A entrada dos monarcas

Com uma arquitetura completamente diferente, cuja origem está no século XVII, a entrada oeste parece ser parte de uma outra construção. É por este lado que os membros da realeza entram quando comparecem a realização de eventos e celebrações. É também a entrada para os serviços religiosos da Abadia de Westminster. As esculturas que podem ser vistas acima da porta de entrada são em homenagem a mártires do século XX. Entre elas, Vania destaca a do líder norte-americano Martin Luther King.

abadia de westminster

A abadia que não é abadia

Talvez esta seja a maior revelação do nosso vídeo acima: a rigor, a Abadia de Westminster não é uma abadia estritamente falando. O seu nome oficial é Collegiate Church of St Peter at Westminster. O termo abadia se refere ao monastério que existia originalmente no local, desde o século X. Vania conta a história da origem desse monastério, fundado por 12 monges beneditinos e como, Henrique VIII transformou o local em uma catedral, onde a filha dele, a Rainha Elizabeth, foi coroada. Outra característica que diferencia a Westminster Abbey de outras igreja é que ela é classificada como “Royal Peculiar”. Isso significa que o seu bispo responde diretamente ao monarca. Ou seja: ela tem mais autonomia que àquelas consideradas comuns.

abadia de westminster londres

Vania Gay

A igreja das coroações e dos casamentos reais

Conhecida como a igreja das coroações, dos casamentos e sepultamentos reais, Westminster Abbey, nas palavras de Vania, talvez seja a igreja mais televisionada do mundo. Mas onde nasce esta tradição? É preciso voltar ao ano de 1066, quando foi realizada a primeira coroação. Além disso, de lá para cá, 16 casamentos reais foram realizados ali, entre outras cerimônias da realeza. Para a cerimônia a mesma cadeira é usada desde 1308. Além de diversos monarcas, mais de 3 mil pessoas estão sepultadas na abadia. Há também uma área onde estão sepultados grandes nomes da poesia inglesa, conhecida como “canto dos poetas”. São mais de 600 memoriais esperando pelo turista. As visitas estão abertas ao público de segunda a sábado e você pode programá-la aqui.

crece pelo