alexandre antonelli
royal botanic gardens, kew

Alexandre Antonelli, um nome na galeria de ilustres brasileiros  em Londres.

Ao assumir, em fevereiro de 2019, o cargo de Diretor Científico do Royal Botanic Gardens, Kew, Alexandre Antonelli faz história. Ele passa a dirigir as pesquisas científicas do maior e mais importante jardim botânico do mundo. A conquista é resultado de uma vida dedicada aos estudos da natureza e da biodiversidade.

Alexandre Antonelli

Alexandre Antonelli

Descubra mais:

Um brasileiro na direção do projeto digital da British Library.

Alexandre Antonelli – de Campinas para o mundo

A paixão pela natureza começou no quintal da casa onde nasceu, em Campinas, São Paulo. Herança paterna, o interesse por plantas aumentou durante a adolescência, quando costumava acampar com os amigos na Mata Atlântica.

Seguindo um curso natural, foi estudar biologia na Universidade Estadual de Campinas – Unicamp. Depois de 6 meses, ele resolveu trancar a matrícula movido pelo desejo de viajar e conhecer o mundo. Desde então, até assumir o cargo de Diretor Científico de Kew Gardens, são 23 anos vivendo no exterior.

Princess of Wales Glass House

Princess of Wales Conservatory

Formação acadêmica – Suécia, Suíça, Harvard

Os estudos de Biologia seriam retomados na Suécia, onde ele também fez o doutorado. Em Zurique, Suíça, ele fez o pós-doutorado, regressando à Suécia como Diretor Científico do Jardim Botânico de Gotemburgo, o pais importante dos países nórdicos.

Royal Botanic Gardens, Kew

Royal Botanic Gardens, Kew

Tornou-se professor universitário em 2015. Depois de uma temporada de 6 meses na Universidade de Harvard, EUA,  estava regressando para a Suécia quando recebeu o convite para se candidatar à vaga de Diretor Científico do Royal Botanic Gardens, Kew.

Kew Gardens

Royal Botanic Gardens, Kew

Biodiversidade – da Argentina ao México

Pesquisador, Alexandre Antonelli tem se dedicado aos estudos da imensa biodiversidade de uma vasta região da América Latina. Concentrando as pesquisas entre a Argentina e o México, o ponto central é entender as diferenças entre as diversas regiões dessa imensa área, onde o Brasil se insere como a mais rica biodiversidade do planeta.

Royal Botanic Gardens, Kew

Royal Botanic Gardens, Kew

O curioso é que, pelo vasto catálogo de plantas e espécies, coletadas durante mais de dois séculos, Kew Gardens é o lugar ideal para se observar e estudar a biodiversidade latino americana. Isso dá a exata dimensão da posição que Alexandre Antonelli ocupa. Para se ter uma ideia, afirma ele, só a coleção de plantas do herbário conta com mais de 6 milhões de exsicatas.

Royal Botanic Gardens, Kew

Royal Botanic Gardens, Kew

A missão de Alexandre Antonelli

Um dos aspectos mais interessantes no vídeo em que registramos um pouco da trajetória de Alexandre Antonelli é a importância do trabalho que ele tem pela frente. Ser Diretor Científico de uma organização internacional como Kew, tem impacto na ciência e na sociedade.

Royal Botanic Gardens, Kew

Royal Botanic Gardens, Kew

É responsabilidade dele traçar os rumos e as estratégias das pesquisas para os próximos 5 anos. E ele sabe muito bem o que deseja atingir. São ideias que, no final, têm o nobre objetivo de preservar a rica biodiversidade do planeta. Você vai ficar sabendo como ele pretende executar essa imensa tarefa, no vídeo acima.

A sua opinião é muito bem-vinda. Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of

receba nossa newsletter
somos uma tv online
feita por brasileiros
em Londres e estamos
construindo um arquivo
inédito sobre a diáspora
brasileira na Europa.

info@canallondres.tv