arte em cerâmica de kinska

Ao conhecer a arte em cerâmica de Kinska a primeira impressão que se tem é que ela nunca fez outra coisa. Kinska e a cerâmica parecem ter nascido juntas. Por isso, impressiona ainda mais saber que não foi bem assim, como ela conta neste encontro, que aconteceu no Glebe Road Studio, em Hackney, leste de Londres.

Descubra mais:

A arte em miniatura de uma artista brasileira em Londres

Do direito para a moda

Filha de família de advogados, Kinska nasceu em Missiones, cidade argentina que faz fronteira com o Brasil. Se geograficamente ela já nasceu muito perto do país vizinho, com o tempo, a relação com o Brasil só fez crescer. Profissionalmente, o primeiro impulso foi seguir os passos da família, mas ela só precisou de 2 meses para perceber que não era a trilha que iria seguir. Foi para Buenos Aires estudar moda.

arte em cerâmica de kinska

Kinska

Os anos de Brasil

De Buenos Aires, a intenção era seguir para São Paulo, mas acabou indo morar por 5 anos em Caxias do Sul. Foi, como ela mesma dia, um período muito enriquecedor para a vida dela, como pessoa e como artista. Viveu intensamente o ambiente cultural da cidade, consumiu muita poesia, música, arte. Lá trabalhou com moda, o que fazia com que tivesse que vir a Londres com certa frequência, para acompanhar as tendências. Foi com a intenção de continuar o trabalho com moda que ela decidiu morar na capital inglesa.

arte de kinska

Vivendo Londres

Ao que parece, ela foi tragada por Londres. Viveu tão intensamente que perdeu-se. Vida e festa eram sinônimos. Aí veio a necessidade de ganhar dinheiro e ela foi trabalhar como garçonete em uma pizzaria.

kinska

Como os acasos da vida são acasos só aparentemente, próximo à pizzaria funcionava a Hackney City Farm, um lugar que se dedica a formar pessoas em diferentes ofícios. Foi lá que Kinska se apaixonou pela cerâmica. Foi amor correspondido.

cerâmica de kinska

Arte em cerâmica de Kinska – despertar

Durante o período em que frequentou a Hackney City Farm, ela também começou a fazer “street art”, colando pequenas peças planas de cerâmica nas ruas. Decidiu se dedicar mais, encontrou o estúdio onde trabalha com mais 15 artistas, todos cerâmicistas. É um espaço comunitário, onde eles dividem equipamentos, aluguel, mas também se ajudam mutuamente, tanto no sentido profissional como emocional.

exposição de kinska

Exposição de Kinks na Anthropologie

A primeira exposição individual

Os anos no estúdio ajudaram Kinska a desenvolver a sua técnica e abriram portas para participar de vários eventos e exposições coletivas. 2017, porém, tornou-se um divisor de águas porque é o ano em que ela teve a oportunidade de fazer a primeira exposição individual. O convite foi da renomada Anthropologie, em Londres.

kinska

Quem foi à exposição  teve o privilégio de chegar mais perto de Kinska. Não apenas no sentido geográfica, de estar com ela, mas de conhecer um pouco mais do que ela é como artista e ser humano. Perceber como, a partir de um momento difícil na vida, a quebra de um relacionamento, ela criou um jardim e recriou a si mesma. Um momento mágico, como aquele em que as flores anunciam o fim do inverno e a chegada da primavera. A grande lição de que da dor é possível nascer beleza. De que o tempo passa.

kinska na anthropologie

Exposição de Kinska na Anthropologie

Dando vida a objetos inanimados

Voltando ao estúdio, você vai ter a oportunidade de saber um pouco sobre o processo de criação da arte em cerâmica de Kinska. Vai descobrir como ela consegue dar vida a coisas inanimadas. Como as mulheres a inspiram a criar personagens e como o material com o qual trabalha, a porcelana, exige precisão durante todo o processo de confecção de uma peça. Por outro lado, como na vida, ela mostrar que uma peça que deu errado não é o fim do mundo. É possível recriar a partir do que deu errado.

arte de kinska

Kinska

A despedida é um ato de gratidão. Kinska reconhece a importância que os brasileiros que ela conheceu ao longo do caminho, e que se tornaram seus amigos, têm em sua vida. A presença de muitos deles na sua primeira exposição individual foi uma prova disso. Amigos para todos os momentos.

O que a gente pode dizer é que chegar mais perto de Kinska e do belo universo que ela cria com a sua arte em cerâmica é um privilégio. E se você quiser acompanhar o trabalho dela ainda mais de perto, deixamos uma dica: siga a Kinska no Instagram.

 

A sua opinião é muito bem-vinda. Deixe um comentário

receba nossa newsletter
somos uma tv online
feita por brasileiros
em Londres e estamos
construindo um arquivo
inédito sobre a diáspora
brasileira na Europa.

info@canallondres.tv