capital da albânia
tirana

Tirana, tornou-se a capital da Albânia em 1913.

Embora a região onde, hoje, é a Albânia tenha registros de presença humana desde o paleolítico, a independência do país só aconteceu no início do século XX. Nos 5 séculos que antecederam a independência, o país foi dominado pelo Império Otomano. Tirana tinha apenas importância por conta da posição geográfica. Olhando no mapa, a capital albanesa está quase a meio caminho entre o norte e o sul.

Praça Skanderbeg - Tirana - Albania

Praça Skanderbeg – Tirana

Descurbra mais:

A capital de Malta foi a primeira cidade planejada da Europa.

Por que visitar a capital da Albânia?

Tente dizer a alguém que você vai viajar para Tirana. Se você, logo em seguida, não completar que trata-se da capital da Albânia, muita gente vai olhar para você com ar de interrogação. Uma boa resposta é sair do lugar comum. Afinal, a cidade é a capital de um país que teve um dos regimes mais rigorosos da história do comunismo.

Por outro lado, você pode usar Tirana como ponto de partida para conhecer o país, que foi o que fizemos. Por ser pequena, você não precisa de mais que um ou dois dias na cidade. E, por último, mas não menos importante: você pode dizer que quer ser surpreendido.

Praça Skanderbeg

Praça Skanderbeg – Tirana

Praça Skanderbeg – o coração de Tirana

Grande parte da história de Tirana pode ser contada em torno da Praça Skanderbeg, que concentra algumas das principais atrações da cidade. Boa parte da arquitetura tem influência italiana. No início dos anos 20, já declarada capital da Albânia, arquitetos italianos foram chamados para projetar alguns do prédios em torno da Skanderbeg.

Estátua de Skanderbeg

Estátua de Skanderbeg

À medida em que vai conhecendo a cidade, você também vai descobrindo as marcas que os fascistas de Mussolini deixaram, na arquitetura e paisagem da cidade, principalmente nos bulevares, construídos por ordem dele. Também são bastant visíveis algumas das marcas deixadas pelos comunistas.

Mesquita - Tirana

Mesquita – Tirana

Um dos destaques na paisagem da Skanderbeg é a mesquita. Ela é importante para lembrar que você está em um país onde boa parte da população é muçulmana, mas também é um exemplo de resistência ao ateísmo comunista, assim como foram as igrejas cristãs. A mesquita só ficou de pé porque foi declarada patrimônio cultural, o que, automaticamente, proibia qualquer prédio do risco de demolição.

independência da Albânia

Afresco que celebra a luta pela independência – Muse de História Nacional

Museus – história antiga e recente

Um dos prédios mais importantes em torno da praça é o que abriga o Museu de História Nacional. Logo na fachada, um gigantesco afresco lembra a luta do povo albanês pela sua autonomia. No interior do museu estão registrados séculos de invasões sofridas por impérios e países vizinhos: romanos, turcos otomanos, gregos, italianos, macedônios, entre outros, em algum momento, dominaram ou tentaram dominar a Albânia.

Situada às margens do mar adriático, entre os Balcãs e o sul da Europa, a posição estratégica da Albânia sempre gerou disputa entre potências rivais. Uma passagem pelo Museu de História Nacional significa um passeio por mais de 10 mil anos de história.

Museu da Vigilância Secreta

House of Leaves – Museu da Vigilância Secreta -Tirana

Saindo da Skanderbeg, embora lá você ainda possa conhecer lugares como a Opera House e a estátua do herói da luta nacional pela independência, que dá nome à praça, vale muito a pena fazer uma visita à House of Leaves, no Museu da Vigilância  Secreta.

O nome, House of Leaves (Casa das Folhas) tem explicação: no passado, uma árvore encobria a fachada da casa. Prepare-se para momentos de reflexão e valorização do que a gente chama de liberdade.

House of Leaves Tirana

House of Leaves – Museu da Vigilância Secreta

O Museu daVigilância Secreta guarda registro de um dos períodos mais sombrios da história da Albânia. O que se pode afirmar é que o museu revela uma grande obsessão, por parte do regime comunista, em controlar todos os passos dos cidadãos albaneses. Ao mesmo tempo, revela como a violência era exercida em todos os sentidos, da tortura psicológico à tortura física.

Bunker Tirana

Bunker

Bunkers e Pirâmide – marcas do comunismo na capital albanesa

A primeira vez que você se depara com um deles, causa surpresa. Aos poucos, porém, eles se tornam algo comum na paisagem. E se você viajar pelo país, verá que eles vão além da capital. No interior ou na praia, você sempre vai se deparar com um bunker. Trata-se de mais uma marca deixada pelos longos anos de regime comunista. Eles foram construídos nos anos 70/80, como uma proteção numa eventual guerra nuclear.

capital da albânia

Prefeitura de Tirana

Naquele período, a Guerra Fria causava temor em toda parte do mundo. No caso da Albânia, esse temor levou à construção de um sofisticado sistema de abrigos subterrâneos. Como parte da sua viagem, você pode visitar o Secret Nuclear Bunker, bem ao lado do prédio da prefeitura e bem próximo da praça Skanderbeg, transformado em um museu. Infelizmente, no dia da nosso passeio, o mesmo estava fechado.

Pirâmide - Tirana

Pirâmide – Tirana

E quando você pensa que esgotaram-se as surpresas, depara-se com uma pirâmide bem às margens do Lana, rio que corta a capital da Albânia. Abandonada e caindo aos pedaços, essa pirâmide foi deixada a própria sorte como uma forma de protesto. Erguida nos anos 90, foi uma ideia do governo, dentro de um esquema de construção de pirâmides. Muita gente passou a contribuir para o projeto, que logo mostrou-se economicamente inviável.

Capital da Albânia

Sino da Paz

Como resultado de uma revolta popular que dividiu o país, o esquema foi abandonado. Hoje, um sino, colocado ali pelas crianças do norte da Albânia, simboliza a reunião do povo albanês depois desse período de revolta e protestos. O nome no sino não poderia ser outro: “Peace” (Paz).

Radio Bar Tirana

Radio Bar

A última parte do nosso passeio pela surpreendente Tirana foi no bairro conhecido como “The Block” (O Bloco). Para variar, esse também é um lugar relacionado aos anos de comunismo na Albânia. Era ali que ficavam as residências dos dirigentes do partido. Hoje, “The Block” é repleto de bares, restaurantes, cafés, clubes noturnos. Um dos lugares mais conhecidos é o belíssimo Radio Bar, onde encerramos o nosso vídeo.

capital da albânia

Radio Bar

O que se pode concluir? A capital da Albânia não é o lugar ideal para quem procura por cartões postais incríveis, como você encontra em outras capitais europeias. Tirana é um lugar repleto de peculiaridades. É a capital com a população mais jovem da Europa, tem uma noite animada, tem muita história e curiosidades.

Um último exemplo: a gente descobriu que o albanês curte muito os alimentos naturais, sem a presença de agrotóxicos e, nesse sentido, saber que Tirana é a única capital da Europa sem um MacDonald’s, mostra coerência. Em nosso vídeo, você pode descobrir mais, na companhia de Silvino Ferreira Jr., nosso editor.

 

 

A sua opinião é muito bem-vinda. Deixe um comentário

receba nossa newsletter
somos uma tv online
feita por brasileiros
em Londres e estamos
construindo um arquivo
inédito sobre a diáspora
brasileira na Europa.

info@canallondres.tv