cerveja belga em bruxelas

um guia belga no país da melhor cerveja do mundo

Um roteiro da cerveja belga em Bruxelas deveria ser parte obrigatória em qualquer viagem à cidade. Mesmo para quem não é um apreciador da bebida, ali, a cerveja representa tanto para a cultura do país que conhecer esta tradição secular é, no mínimo, fascinante. Por isso vale muito uma tour por alguns lugares da cidade onde bebida pode ser especialmente apreciada. Se o passeio tem como guia um belga que conhece o assunto, o passeio, além de saboroso, é instrutivo.

tour da cerveja belga em bruxelas

Descubra mais:

Roteiro de pubs para você visitar às margens do Tâmisa

Arnaud De Schaetzen é um belga apaixonado pelo Brasil. Tão apaixonado que, hoje, ele divide a sua residência entre duas cidades: Bruxelas e o Rio de Janeiro. Foi ele que elaborou um roteiro da cerveja belga, que você não pode perder quando estiver em Bruxelas.O ponto de partida já é significativo: na frente do prédio conhecido como La Bourse, a bolsa, que será transformado no museu da cerveja.

Cerveja belga em Bruxelas

A tradição da cerveja trapista

De lá, a primeira parada, nesse roteiro  é o Le Coq, um café tradicional, onde a cor predominante é o marrom, que é um dos prediletos de Arnaud. Logo na chegada, você será apresentado a uma das marcas que ele mais curte: a Westmalle. Ela se enquadra no que os belgas chama de cerveja trapista. Elas produzidas em mosteiros, que fazem parte da Associação Trapista Internacional, composta por 11 mosteiros. No caso da Westmalle, ela vem da Trappisten van Westmalle.  É uma bebida para destemidos, com alto teor alcóolico. A intenção principal não é se embriagar e sim degustar. E enquanto ele faz isso, conta um pouco da tradição e do papel dos mosteiros na reputação que o produto ganhou no mundo. É uma tradição secular que tem suas raízes na Idade Média. Segundo o nosso guia, um compatriota otimista vai dizer que o país produz cerca de 1.200 marcas de cerveja. O realista vai baixar esse número para 800. Não importa, qualquer que seja o número real, são muitas as opções. Dentre elas, até hoje, as melhores marcas do mundo ainda são produzidas em cervejarias localizadas nas abadias.

cerveja belga

 

Regras trapistas

Há também uma distinção que deve ser feita entre uma cerveja Abadia e uma Trapiche. Para ser considerada trapista, não basta ser produzida em uma abadia. A cerveja não deve ser feita com o objetivo de gerar lucro, já que os resultados das vendas devem ser revertidos para projetos beneficentes; deve seguir o rigoroso processo de produção estabelecido dentro da abadia; deve ser produzida ou supervisionada por um monge; deve ser produzida em um mosteiro que faça parte da associação que mencionamos acima. Algumas são tão especiais que têm apenas uma edição anual, muito limitada.

conhecendo a cerveja belga

Loja de cerveja

Depois do Le Coq, Arnaud leva você para conhecer um lugar que é um misto de bar e loja de cerveja. No caminho, ele conta um pouco da relação de amor que tem com o Brasil, em especial o Rio de Janeiro.  Chegamos, então, ao Delices & Caprices. Ele é pequeno, mas cada centímetro do espaço é bem utilizado. Isso torna a variedade de marcas nas prateleiras algo invejável. Você vai encontrar desde a tradicional cerveja clara, passando pelas Belgian Ale, Belgian Strong Ale e muitas, mas muitas mesmo, marcas artesanais. É deixar qualquer cervejeiro boquiaberto. O local é conhecido como um lugar de degustação. Lá, você pode até se dar ao luxo de ter uma aula sobre o tema com os proprietários. Olhando as prateleiras você tem uma ideia da criatividade belga. Eles são inovadores tanto na produção do líquido, onde estão sempre arriscando com a introdução de novos aromas e sabores, como na criação dos rótulos das garrafas.

bares em bruxelas

Um cinema no roteiro da cerveja belga em Bruxelas

Seguimos, então, em direção ao A La Morte Subit, a morte súbita,  que é também o nome da cerveja que eles mesmos produzem. O nome já diz tudo, não é mesmo? Ela deve ser consumida com moderação. Especialmente se você está fazendo um passeio e não quer ficar no meio do caminho. É um local que faz tanto sucesso que não havia lugar para sentar. Mesmo assim, só a visita já vale a pena pela beleza do seu interior.

cerveja belga em bruxelas

Não demoramos no A La Morte Subit, mas a parada seguinte, por si só, já vale esse roteiro em Bruxelas. O Nova Cinema é um espaço para o cinema alternativo com uma programação totalmente underground. Pode-se dizer que é o paraíso dos fãs de filmes pornográficos, filmes B, filmes de Chuck Norris, plantas carnívoras e outras bizarrices. É, claro, um lugar com muita cerveja. Arnaud aproveitou para nos apresentar uma com sabor cereja. Infelizmente, não dá para descrever o sabor em palavras.

Cerveja belga em Bruxelas

Finalmente, chegamos ao Goupil Le Fol. Foi uma visita rápida, porque é um lugar dedicado ao romance, à paquera, às segundas intenções. Além de muito escuro, a primeira coisa que o gerente nos solicitou foi que a gente não filmasse os clientes. Vale a pena você colocar na sua agenda, mesmo que você vá apenas para conhecer, porque é um verdadeiro labirinto,, cheio de cores, luzes, obras de arte, móveis, objetos pendurados, que formam uma atmosfera única. Para comprovar que não estamos exagerando temos o vídeo aí no topo da página.