moedas inglesas – como reconhecer

do pence ao pound - o valor que a moeda tem

No vídeo acima, vamos mostrar como são as diferentes moedas inglesas, do penny (centavo) ao pound (libra). É importante porque todo mundo que viaja sabe: leva um tempo até identificar as cédulas e as moedas do país onde você está chegando. Com as moedas britânicas, ou inglesas, não é diferente. Afinal, são 8 tipos diferentes: 1 penny, 2 pence, 5 pence, 10 e 50 pence, que seriam equivalentes aos nossos centavos. Todas elas podem ser abreviadas, usando o numeral seguido de um “p”. 1p, por exemplo. As mais valiosas, no entanto, são as de 1 e 2 libras. Em comum, todas elas têm a face da rainha em uma das faces. Uma curiosidade: os britânicos têm o hábito de substituir a palavra “pound” por “quid”.

Saiba mais:

Como usar o Oyster Card no transporte publico londrino

Vale ressaltar que, no caso das moedas, além da identificação, existe um problema cultural que afeta os brasileiros: anos e anos de inflação fizeram com que as moedas fossem relegadas a um segundo plano. Ao contrário do que acontece na Inglaterra, a gente simplesmente não dá valor aos nossos centavos. É comum você chegar numa mercearia ou banca de revista e, ao invés de moedas, receber balas como troco. Nisso, só quem leva vantagem é o vendedor, porque está empurrando um produto que você nem havia pensado em consumir. Na Inglaterra, assim como nos outros países do Reino Unido onde a libra é usada (Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte), as moedas fazem parte do dia-a-dia das pessoas. Elas são essenciais, por exemplo, na hora de estacionar, já que são muitos os parquímetros espalhados pelas ruas que aceitam moedas com pagamento. O pound é tão valorizado que existe uma cadeia de loja, Poundland, onde qualquer produto custa uma libra.

Adquira o ebook “50 dicas de quem viaja para quem vai viajar”, aqui.
50 dicas de viagem

Ilustração: Fê Illustrator

Moedas inglesas – Mudança de hábito

Voltando ao caso brasileiro, o consumidor também tem a sua parcela de culpa. O brasileiro criou o hábito de deixar as moedas em casa. Isso representa um prejuízo imenso para o país, que fabrica uma quantidade enorme de moedas, que não entram em circulação. Até as carteiras deixaram de vir em aquele bolsinho reservado para as moedas. Como já afirmamos, é fruto de uma herança da cultura inflacionária que predominou durante tanto tempo no Brasil. A expectativa, claro, é que as novas gerações mudem esse hábito. Em nosso vídeo, Kléber Saúde mostra exatamente o contrário: o quanto moeda é valorizada no Reino Unido. Isso, a rigor nem deveria ser uma curiosidade. Nem aqui nem em lugar algum.

A moedas da Inglaterra e as novas tecnologias

Por outro lado, no Reino Unido, a moeda tem perdido espaço, mas por outro motivo: o avanço da tecnologia. É muito raro, por exemplo, o uso das mesmas na hora de pagar transporte público. Elas foram substituídas, primeiro, pelo Oyster Card, o bilhete único de transporte do ingleses. Hoje, até mesmo este cartão está seguindo o mesmo caminho das moedas inglesas: você pode pagar com o cartão de débito ou crédito. Não são todos os cartões que aceitam, só os que são chamados de “contactless” (sem contato). Eles vêm com um símbolo indicando que basta você encostar no local indicado e o dinheiro é, automaticamente, debitado no cartão.

É muito importante que você, que vem a passeio, ou residir em Londres, aprenda a dar valor às moedas da Inglaterra o mais rápido possível. Simplesmente porque o contrário significa perder dinheiro. Assim como em outros vídeos, onde Kléber mostra como usar o seu oyster card e a bike pública, por exemplo, você vai ver que gastar três minutos para saber identificar e valorizar as moedas da libra esterlina, vale bem mais do que você possa imaginar. E, antes de encerrar, uma última curiosidade, se você quiser jogar o nosso “cara ou coroa”, aqui o termo usado é “head or tail”, cabeça ou rabo. E o ato de “tirar na moeda”, “toss a coin“.

© 2009 - 2016 - Canallondres.tv - Todos os direitos reservados /