quartier des bains
galerias de arte museus em genebra

da espace L ao manco

Assim como em qualquer grande cidade europeia, visitar galerias de arte e museus em Genebra é uma bela opção para o turista que gosta de unir história e arte. No caso da capital suíça, uma dupla facilidade: Genebra é uma cidade relativamente pequena e tem um bairro que concentra a maioria das galerias de arte e museus da cidade: o Quartier des Bains. O nosso passeio por lá foi ainda mais especial porque começa pela Galeria Espace L, da brasileira Letícia Amas. Você não poderia pedir guia melhor para este passeio.

galerias de arte em genebra

Letícia Amas

Descubra mais:

Arte brasileira em uma exposição realizada em Berlim

A nossa guia em Genebra

Antes de começar o passeio, vamos saber um pouco sobre a nossa guiar nessa tour muito especial pelo Quartier des Bains. Letícia Amas é carioca e foi para Genebra em 2006. A mudança foi uma decisão familiar depois que surgiu uma oportunidade de trabalho para o ex-marido de Letícia. Com formação em jornalismo e um MBA em varejo, no Brasil, ela trabalhou em comércio, banco e editoras. Em Genebra, além da mudança de país, ela passou por uma mudança de vida. Depois de um curso de fotografia e um estágio no Centro de Fotografia de Genebra que você vai conhecer durante um dos mais importantes museus de Genebra, o Museu de Arte Moderna Contemporânea – MAMCO.

galeria espace L genebra

Espace L

Uma galeria brasileira em Genebra

A ideia de abrir uma galeria de arte em Genebra tem a ver com o processo de adaptação à nova vida. Em uma sociedade calvinista e, consequentemente, conservadora, onde as relações familiares são seculares, não é fácil para quem vem de fora encontrar um espaço. A Espace L foi uma forma inteligente de criar uma conexão Brasil-Suíça através da arte contemporânea. A galeria foi aberta em novembro 2011 e mudou-se para o atual endereço, em 2015.

galeria espace L

Durante a visita, tivemos uma amostra da proposta da Espace l, através dos trabalhos de dois artistas suíços que estavam em exposição: Julien Spiewak e  Catherine Rebois. São dois artistas com propostas diferentes, como afirma Letícia. O trabalho de Julien é composto de fotografias coloridas, enquanto que Catherine expõe fotos em preto e branco. Ele esconde partes do corpo dentro das imagens, enquanto que as fotos dela parecem partes desintegradas de um todo, que funcionam como um jogo interativo Além dos trabalhos dos dois fotógrafos, Letícia também apresenta 3 obras de artistas brasileiros que fazem parte do acervo permanente da galeria: Niura Bellavinha, Fernando de la Rocque e Caroline Valance.

leticia amas em genebra

Letícia Amas

Pelas ruas do Quartier des Bains

Na segunda parte do nosso vídeo, Letícia leva você para um passeio pelas ruas do Quartier des Bains. Você vai conhecer um café, alguns dos museus de Genebra e uma feira ao ar livre. Entre um lugar e outro, Letícia vai dando algumas dicas sobre a cidade: transporte, clima, atividade. A primeira parada é no Cafe De La Paix, localizado a poucos metros da galeria. Ali, além de apresentar o chef, ela recomenda como um dos melhores lugares para quem curte a culinária francesa. Bom lembrar que Genebra está localizada na fronteira com a França.

mamco genebra

2 Museus em Genebra

A caminho do MAMCO, paramos para que Letícia apresentasse um dos mais importantes museus de Genebra, o Museu de Etnografia. A curiosidade é a integração entre o antigo prédio do museu e o de arquitetura mais moderna, lado a lado. Um lugar que a nossa guia recomenda. Ainda a caminho do MAMCO, ela fala da facilidade que é se locomover em Genebra e do plano de fuga quando frio aperta: ski nas montanhas. Ao chegar ao Museu de Arte Moderna e Contemporânea, descobrimos que o antigo prédio onde antes funcionava uma fábrica de torneiras para banheiros, abriga o Centro de Artes e o Centro de Fotografias de Genebra.

mamco genebra

Letícia Amas

Durante a passagem pelo MAMCO o Centro de Fotografias estava com exposição Camp America, da fotógrafa Debi Cornwall, sobre pessoas que passaram períodos prolongados em prisões americanas sem que tivessem passado por julgamento. Também aproveitamos para conhecer uma instalação que acontecia em um espaço aberto do museu, com a curiosa proposta de integrar a mecânica de antigas máquinas de costura à era digital.

Plainpalais Genebra

Plainpalais

Mas como tudo o que é bom uma hora termina, o nosso passeio pelo Quartier des Bains caminha para o seu final. Ainda a tempo de apresentar mais um dos museus de Genebra, o Patek Philippe, que conta a história do famoso relógio suíço, vamos para uma praça onde acontece uma feira que junta antiguidades com o que você imaginar em termos de objetos de segunda mão. É ali, na Plainpalais, uma das maiores feiras em praça pública da Europa que Letícia Amas, depois de mostrar por que vale a pena conhecer o Quartier des Bains, se despede de você.

crece pelo