passeio a pé em londres – margem norte do tâmisa

thames path - entre a ponte do milênio e a tower bridge

Quando se pensa em um passeio a pé em Londres, uma caminhada ao longo do Rio Tâmisa, ao lado dos parques londrinos, é uma bela alternativa. Mas o turista que não conhece bem a cidade, quando pensa em caminhar ao longo do Rio Tâmisa, em geral, escolhe Southbank. É uma escolha natural, considerando-se que a margem sul, entre a London Eye e a Tower Bridge, tem uma infraestrutura mais adequada ao turista. Tem tudo: pubs, restaurantes, galeria de arte, cartões postais, artistas de rua. Mas ignorar a margem norte do Tâmisa pode revelar-se erro. É o que mostra o nosso vídeo acima.

millennium bridge

Péricles Rosa

Descubra mais:

Uma antiga linha de trem transformada em trilha para quem curte caminhar

Passeio a pé em Londres – Seu guia na caminhada

Mas antes de começar o nosso passeio a pé pela cidade, deixe-nos apresentar o seu guia. Péricles Rosa é um apaixonado por viagens. Em sua lista de países visitados, a conta já chega a 35. Criador do blog 7 Continentes um Passaporte, ele está passando uma temporada na cidade e viajando pela Europa para recolher material e informações para enriquecer o conteúdo do blog. É na companhia dele que você vai fazer esta caminhada pela margem norte do Tâmisa.

tate modern londres

Hotéis em Londres

Margem norte do Tâmisa – 4 pontes e uma igreja no caminho

O trecho a ser coberto pela caminhada fica entre duas pontes que estão separadas por séculos. A partida é a moderna Millennium Bridge, ponte de pedestre que liga a Tate Modern à St Paul Cathedral. A segunda ponte é a mais conhecida e um dos principais cartões postais da cidade: a Tower Bridge. Mais de um século separam as suas construções. Entre elas, mais três pontes: a London, a Southwark e a Blackfriars Bridge. É sobre a Ponte do Milênio, com a Tate Modern às suas costas e a Catedral de São Paulo à frente que Péricles começa esse passeio a pé à beira do Thames. Vale a pena seguí-lo.

catedral de são paulo

Péricles Rosa

Antes de começar a caminhada propriamente dita, você vai chegar mais perto da St Paul Cathedral. Ali, Péricles fala sobre esta igreja que é um dos principais cartões postais da margem norte do Tâmisa e da cidade. Construída em estilo barroco inglês, foi projetada pelo arquiteto Sir Christopher Wren. Localizada na City of London, a Catedral de São Paulo tem 111 metros de altura. Mas além dessas informações, vale a pena ver o vídeo e descobrir algumas curiosidades reveladas por Péricles. Uma delas é sobre porque a Princesa Diana casou ali, quando a escolha natural seria a Westminster Abbey.

margem norte do tâmisa

Péricles Rosa

A imponente visão do The Shard

Depois da igreja, hora de começar a caminhada. Logo no início, a visão é de um dos mais novos cartões postais londrinos. Onipresente, o The Shard, pode ser visto de quase todas as regiões da cidade. Dali, da margem norte do Rio Tâmisa, ele parece ainda mais imponente. São mais de 300 metros de altura, com 72 andares e uma estrutura com 11 mil placas de vidro. Para quem não sabe, é possível planejar uma visita e apreciar a vista da cidade lá de cima. Se você tiver a sorte de pegar um dia com a luz que tivemos durante o nosso passeio a pé por Londres, sorria: você foi premiado.

caminhando na margem norte do tâmisa

Péricles Rosa

Como dissemos entre a Millennium e a Tower Bridge existem três outras pontes. Ao chegar à Blackfriars Bridge, você tem uma passagem subterrânea que é uma parte especial nessa caminhada. Nas paredes subterrâneas, uma galeria com imagens antigas que contam um pouco da história da cidade e a relação com o seu rio. A relação com o rio, aliás, é um dos pontos de reflexão que o Péricles faz durante a caminhada.

ponte-torre-de-londres

A visão de um grande cartão postal londrino

Em seguida, um dos momentos mais esperados desse passeio a pé pela capital londrina: a magnífica visão da Tower Bridge no horizonte. Vale a pena um pausa no passeio para apreciá-la. Se você prestar atenção, a maioria das fotos da Torre de Londres é tirada da margem sul. Portanto, este é um momento para vê-la a partir de outro ângulo: a margem norte do Rio Tâmisa. Neste trecho da caminhada, Péricles também aproveita para destacar outros aspectos que chama a atenção na cidade. Um exemplo é o hábito dos londrinos de comer em espaços públicos. Na hora do almoço é uma cena que faz parte da paisagem londrina.

torre de londres

Onde o tradicional encontra o moderno

A visão da Tower Bridge poderia ser o ponto alto da visita, mas não é por um detalhe: a Tower of London. Não é que a Tower of London seja um cartão postal mais importante. É que, ao chegar ali, você tem os dois juntos. Você logo percebe a movimentação e a excitação dos turistas. Péricles chama a atenção para uma peculiaridade que é uma das marcas da capital inglesa: a capacidade de unir o novo e o antigo, o tradicional e o moderno. Ao mesmo tempo, você tem a visão de construções da idade média, do século XIX e do século XX: a Tower of London, a Tower Bridge e o City Hall, o moderno prédio da prefeitura.

tower bridge

Um extra para quem chegou até aqui

Bem dissemos que o passeio era entre duas pontes, certo? Mas, no final, você ainda ganha um extra: demos uma esticada até St Katherine Docks. Não é todo turista que visita a cidade que põe St Katherine no roteiro de lugares a visitar. Este vídeo serve para mostrar o quanto quem faz isso está perdendo. Mesmo ao lado da Tower Bridge, é um lugar escondido. Reservado a quem curte explorar e conhecer mais.

st katherine docks

Pode ser que, depois de tudo que foi dito, você chegue à seguinte conclusão: “eu tenho as fotos e o texto, não preciso ver o vídeo”. É uma decisão sua, mas podemos afirmar que o seu passeio a pé ficaria incompleto. Primeiro, porque um dia com luz de outono produz imagens que as palavras não conseguem traduzir. Segundo, o nosso guia também tem muito mais a dizer. Por último: você vai descobrir que caminhar ao longo da margem norte do Tâmisa é bom como exercício físico e como passeio turístico, mas também para aprender e refletir. Boa caminhada.