pontos turísticos de londres – top 55

Elaborar uma lista com 55 pontos turísticos de Londres é uma tarefa fácil até certo ponto, porque boa parte deles é muito óbvio. São vários os pontos de interesse na cidade que um viajante não pode deixar de conhecer. Mas à medida em que a lista vai avançando, começam a entrar os fatores pessoais. É onde entra o gosto de cada um. Esta é uma lista onde até residentes vão encontrar lugares da cidades que nunca visitaram. O que dizer, então, para o turista que vem a Londres passar 4 dias, ou mesmo 2, 3 semanas? Fazer um roteiro de viagem é como montar um prato em um restaurante self-service: como não dá para ter tudo o que é oferecido, você precisa escolher o que mais lhe apetece. A nossa lista abaixo tem esse objetivo.

vista do big ben

Parlamento e Big Ben

Você vai começar por pontos obrigatórios, aqueles que se você voltar da cidade sem uma foto, ninguém vai acreditar que esteve aqui. À medida em que avançamos, você pode ir eliminando coisas que não despertam o seu interesse. Londres é uma cidade que recebe milhões de turistas todos os anos. Na verdade, depois dos Jogos de 2012 a cidade se tornou a mais visitada no mundo, ultrapassando Paris. Isso significa que opções não faltam. Tem atrações e atividades para todos os gostos e idades.

tower bridge

Tower Bridge

Descubra mais:

O que ver em Londres em 5 dias

A gente procurou elaborar uma lista que contemple quem vem à cidade sozinho ou acompanhado, mas sem esquecer as crianças. Tem o mais tradicional e tem o novo. O esperado e o surpreendente. O pago e o grátis. Este é um ponto que merece destaque sempre: muitos dos pontos turísticos de Londres são gratuitos. O grande destaque, neste sentido, são os museus e os parques.

Sky Garden

Sky Garden

1 – Big Ben e Parlamento – 2 em 1

big bem e parlamento

Parlamento e Big Ben

Localizado no City of Westminster, este é um ponto turístico da cidade que pode ser chamado de 2 em 1: você tem o palácio  e o Big Ben ao mesmo tempo. O Big Ben é o nome do sino que fica na Torre Elizabeth. Já o Palácio de Westminster é um dos pilares do poder político no Reino Unido. Ali ficam a Casa do Comuns, onde reside o poder de fato, e a Casa dos Lordes, cujo poder é mais simbólico. Cada membro do parlamento, conhecido com MP (Member of the Parliament) é eleitos como representante de um distrito eleitoral.

Parlamento Britânico

Casa dos Comuns – Parlamento Britânico

O prédio já passou por três grandes reconstruções: as duas primeiras por conta de dois grandes incêndios, em 1512 e em 1834; a terceira reconstrução veio depois dos bombardeios sofridos durante a Segunda Guerra Mundial. Nenhum lugar é mais fotografado pelos turistas na capital inglesa. Mas você também pode ir até o site do palácio e programar uma visita para conhecê-lo por dentro. Se quiser, pode assistir a uma sessão de debates também. Vale muito a pena.

Reserve hotel em Londres

2 – London Eye – um volta com vista privilegiada

london eye

London Eye

Considerando os 2 mil anos de história da cidade, incontáveis prédios e monumentos seculares, a London Eye é, como atração turística, um bebê. Ela foi inaugurada no ano 2000, para comemorar a chegada do novo milênio. O sucesso foi instantâneo e a roda gigante de Londres tornou-se atração top na cidade. Ajudou muito a localização, já que ela fica no lado sul do Tâmisa, lado oposto do Big Ben. Ao dar uma volta em uma das suas cápsulas, você vai chegar a 135m de altura. De lá, a vista é deslumbrante. É importante escolher bem o dia da sua volta na roda gigante: se estiver muito nublado, você vai ficar com a sensação que perdeu dinheiro. Tudo depende de um pouco de sorte. Para saber mais, visite o site.

3 – Tower Bridge – a ponte que abre ao meio

tower bridge

Tower Bridge

Das 32 pontes que ligam as margens do Tâmisa, ela é a mais imponente de Londres. Com uma arquitetura diferente, ela foi construída para aliviar o tráfego sobre a London Bridge, sua vizinha. Logo tornou-se um dos ícones da cidade. Além da arquitetura, ela também tem uma engenharia inovadora: em determinadas horas do dia, ela abre-se ao meio para dar passagem a grandes embarcações. É mágico para o turista que tem a sorte de estar por perto em algum desses momentos. Você também pode fazer um passeio por dentro da ponte e visitar a Casa das Máquinas. Clique para compra ingressos online.

4 – Palácio de Buckingham – a casa da rainha

Buckingham Palace

Palácio de Buckingham

Mais do que a casa da Rainha Elizabeth II, esta é a residência oficial da família real britânica, desde 1837, quando a Rainha Victoria iniciou o seu reinado. Até então,  Palácio de St James era a sede da realeza. Situado em uma das extremidades do belo St James Park, é uma das grandes atrações turísticas da cidade. A grande atração para o público é a tradicional troca de guarda que acontece em dias e horários pré-determinados com bastante antecedência. É sempre bom chegar pelo menos uma hora mais cedo, já que a concorrência por um bom lugar é sempre alta. Você também pode agendar uma visita ao majestoso interior do palácio real.

5 – Torre de Londres – casa das jóias da coroa

tower of london

Torre de Londres

Oficialmente, a Torre de Londres tem o nome de Her Majesty’s Royal Palace and Fortress of the Tower of London. É um castelo medieval, construído pelos normandos, quando eles conquistaram a cidade. Durante muitos anos, a torre foi um símbolo de humilhação para os ingleses.

tower of london

Torre de Londres

Ela também foi usada como prisão e lugar de execução de personalidades importantes. Hoje, é uma das principais atrações  da cidade. A estrela do castelo são as jóias da coroa, guardadas sobe forte esquema de segurança. A sua vizinha ilustre é a ponte mais famosas da cidade. Para mais informações e compra de ingressos online ou informações mais detalhadas visite o site oficial.

6 – Piccadilly Circus – coração da cidade

piccadilly londres

Piccadilly Circus

Piccadilly Circus é um lugar que parece estar sempre em movimento. Situado no coração da cidade, é mundialmente conhecida pela estátua de Eros e pelos seus gigantescos letreiros luminosos. Passar por aquele pedaço do centro de Londres é quase que inevitável. Indo ou vindo para regiões como Trafalgar Square, Regent Street, Soho, Covent Garden ou China Town, é bem provável que você vá passar por Piccadilly. Aproveite para explorar a área. Tem muita coisa a ser vista, além do pedaço onde se concentra o burburinho. Por exemplo, a Fortnum & Mason, loja que é fornecedora oficial da família real. Perto dali também fica a famosa Royal Academy of Arts.

7 – Trafalgar Square – marco zero da cidade

trafalgar square

Trafalgar Square

Bem-vindo à praça mais central da cidade. Em Trafalgar Square fica o marco zero da cidade. A grande estátua no centro da praça é a homenagem a um dos heróis nacionais, o Comandante Nelson. A região era conhecida como Charing Cross e a mudança de nome veio em homenagem à vitória dos ingleses sobre Napoleão na Batalha de Trafalgar, em 1806. A praça é também um local de celebrações e manifestações políticas, artísticas e culturais. Também é recomendada como ponto de partida para uma boa caminhada em direção ao Palácio de Buckingham, Hyde Park e os museus Victoria & Albert, Science e de História Natural.

8 – National Gallery – de Da Vinci a Picasso

national gallery

National Gallery

Para os apaixonados por arte, este é um dos pontos obrigatórios na cidade. Inaugurada na segunda metade do século XIX, a National Gallery guarda um acervo de valor inestimável. Ali estão expostos trabalhos de alguns dos maiores nomes da arte mundial:  Van Gogh, Leonardo da Vinci, Monet e Francisco Goya, entre  muitos outros. Além do acervo permanente, a National Gallery sempre promove grandes exposições.

Para você ter uma ideia da importância desse grande museu londrino, com mais de 2.300 pinturas, ele só perde em número de visitantes para o Louvre, o Museu Britânico e o Museu de Arte Metropolitana, em Nova York. Não dá pra deixar de fora do seu menu de visita a Londres, né mesmo? Agora, o melhor: você não precisa pagar nada para fazer um passeio pelo interior da galeria. Se estiver se sentindo generoso, uma doação é sempre bem-vinda e, sejamos francos, merecida.

9 – British Museum – o mais visitado

british musuem

Welcome ao número 1. Isso mesmo, o principal motivo para não deixar o British Museum fora do seu cardápio de viagem é simples: entre tantos museus para visitar em Londres, ele é o preferido dos turistas. No mundo, só perde para o Louvre, em Paris. A razão para que este museu atraia tanto interesse é a riqueza do seu acervo.

british museum

Ali estão grandes obras gregas, egipcias e romanas. Na verdade, entre as paredes do museu estão preservadas um pedaço significativo da história da humanidade. Reserve bastante tempo porque há muito para ver, admirar, aprender e fotografar. Atenção: por motivos de segurança, não é permitido o acesso com mochilas ou pacotes medindo mais que 40 X 40 X 50cm ou pesando mais de 8kg. Para saber mais, basta visitar o site do museu.

10 – Hyde Park – um dos grandes parques reais

hyde park

Hyde Park

Os parques são para os londrinos o que a praia é para o brasileiro. Eles estão em toda parte e são usados diariamente, faça chuva, sol, frio ou calor. Existe também uma categoria especial que são os Parques Reais, antigas propriedades da realeza que, ao longo do tempo, foram abertas ao público. Entre eles, Hyde Park é um dos principais. Uma de suas grandes atrações é o famoso Speaker Corner. Aos domingos, vale a pena dar uma passada neste que é considerado o canto mais democrático do planeta. Um passeio ao longo do belíssimo lago, é o que há. Com preguiça, jogue-se na grama e relaxe.

11 – Regent’s Park – jardim de rosas e teatro ao ar livre

regent's park

Regent’s Park

É difícil escolher o mais belo parque da cidade, mas uma coisa é certa: o Regent’s Park está no top 3. Só o famoso Jardim das Rosas já paga a visita. Para os amantes do esporte, outra atração: ali está a maior área para esporte ao ar livre do Reino Unido. Quer mais: entre o início da primavera e o final do verão vale a pena visitar o Open Theatre, um teatro ao ar livre que exibe 4 grandes produções anuais.

12 – Westminster Abbey – a igreja dos casamentos reais

westminster abbey

Westminster Abbey

Independente de religião, uma das obrigações de quem visita a capital inglesa é ir à algumas igrejas. Uma delas é a Abadia de Westminster.  Um belo exemplo da arquitetura gótica, ela tem, ao longo dos séculos, mantido a tradição de sediar coroações reais, casamentos e sepultamentos de membros da realeza. Uma vez que é praticamente impossível fotografar o interior da igreja, o jeito mesmo é pagar ingresso para ter uma ideia precisa da imponência dessa igreja que é sede da Igreja Anglicana e um dos mais concorridos pontos turísticos da cidade.

13 – St Paul Cathedral – uma marca na paisagem

catedral de são paulo londres

St Paul Cathedral

A Catedral de São Paulo não tem o mesmo prestígio que a Abadia de Westminster disfruta entre os membros da realeza, mas é igualmente amada pelos turistas. Também anglicana, a igreja foi projetada por Sir Christopher Wren, no século XVI. Com o grande fogo que destruiu a City of London em 1666, St Paul teve que ser reconstruída.  Com os seus 111 metros de altura é uma construção marcante na paisagem londrina. Assim como outras igrejas na cidade, você tem que pagar para fazer uma tour pelo interior da catedral.

14 – Shoreditch – arte de rua e gente descolada

arte em shoreditch

Arte Rua em Shoreditch

Não faz muito tempo, incluir Shoreditch em uma lista de lugares para visitar em Londres soaria muito estranho. Mas esta região é uma prova viva do quanto a cidade mudou. O visitante que ignorar Shoreditch estará deixando de lado o pedaço mais vibrante, mais moderno, mais descolado da capital inglesa. As ruas ali formam uma galeria de arte a céu aberto, com trabalhos dos mais famosos artistas de rua do mundo em exibição.

boxpark

BoxPark – Shoreditch

Shoreditch também é um grande centro de compras para quem curte coisas modernas. É em Shoreditch que fica o Triângulo do Design e as lojas descoladas do BoxPark e é lá que a noite acontece. Conhecer Shoreditch é ir mais a fundo no que a cidade tem de melhor: cultura, diversidade, lazer e conhecimento. Se você deixar este lugar fora do seu roteiro, desculpe a franqueza, você vai continuar sendo um principiante em termos de Londres.

15 – Camden Town- o reduto punk que virou atração

camden town

Camden Town

Não é pecado algum ser principiante e a redenção está em um lugar muito especial no norte da cidade: Camden Town. Um dos redutos do movimento punk, casa de Amy Winehouse, Camden, assim como Amy, é um dos principais pontos turísticos de Londres. A região ainda preserva muito do espírito da rebeldia punk, mas, em parte, fez concessões aos padrões que determinam o que o turista quer ver. Se eu fosse você, não deixaria de ir.

Reserve hotel em Londres

16 – Portobello Road / Notting Hill – mercado, cinema, gente famosa

portobello road

Portobello Market

Portobello é um desses programas que unem turistas e residentes. Nos fins de semana a rua que dá nome à grande feira é tomada por pessoas de todas origens e idades. Quem curte moda, quem curte design, objetos para decoração, culinária, antiguidades e preciosidades, encontra ali o que procura. Tem de tudo nessa imensa feira que ficou famosa por ser frequentada por grandes nomes do mundo da moda, como Kate Moss e Naomi Campbell. A fama de Portobello também sofreu um impulso com o filme Notting Hill e muito turista vai à região para visitar alguns locais que serviram como locação do filme. É também um lugar com alguns pubs bem bacanas para uma parada estratégica.

17 – Brick Lane – rua e mercado aberto

brick lane

Brick Lane

Brick Lane é um dos pontos dos londrinos descolados e turistas atentos ao que há de novo na cidade. Localizada na região de Shoreditch, essa rua é muito especial. Ela ainda mantém parte da pavimentação original, feita de tijolos, do período romano. Uma das grandes atrações é a quantidade de restaurantes indianos, um ao lado do outro. Ela também é especial para quem curte arte de rua. Artistas de todas as partes do mundo deixam suas marcas nas paredes, postes, fachadas e muros da Brick Lane. Quem curte comprar roupas, não vai se decepcionar. Durante o final de semana a rua vira uma grande feira a céu aberto. A estação de trem e metrô mais próxima é a Liverpool Street. Para quem vai de Overground, a parada é a Shoreditch High Street. Brick Lane é a cara da cidade: diversa, criativa e atraente.

18 – Museu de História Natural – vá e leve as crianças

museu de história natural londres

Natural History Museum

Este é um programa para crianças de 8 a 80 anos. O Museu de História Natural é um dos mais visitados do Reino Unido e grande parte dos seus ilustres visitantes são crianças. Razões para isso não faltam: o museu tem uma área dedicada aos dinossauros que faz a festa dos pequenos; tem também a ala dos mamíferos, onde o destaque é a gigantesca baleia azul; e tem muita interatividade, com monitores treinados para orientar a gurizada.

museu de história natural

Museu de História Natural

É um lugar perfeito para um passeio em família e um dos museus preferidos pelas escolas. Durante os dias da semana é praticamente impossível não cruzar com grupos de estudantes acompanhados de professores e monitores. É uma grande sala de aula, onde se aprende brincando. A entrada é grátis e você pode ver os horários do museu no site.

19 – Museu Victoria & Albert – de pinturas a objetos de decoração

museus de londres

Victoria & Albert Museum

Também conhecido pela abreviação V & A, o Victoria & Albert é um dos grandes museus do mundo. Com um acervo de mais de 4 milhões de objetos, ele está localizado na sofisicada região de South Kensington. Fundado em 1853, o seu acervo cobre mais de 5 mil anos de história da arte. É o maior do mundo em quantidade de arte decorativa, design e objetos para casa. Chegar lá é muito fácil: de Victoria Station, uma das principais estações da cidade, é só pegar o metrô da linha District Line e descer em South Kensington. Há placas indicativas para chegar ao museu ainda no interior da estação.

20 – Leadenhall Market – do mesmo arquiteto da London Bridge

leadenhall market

Leadenhall Market

Ele não é o mercado mais conhecido pelos turistas que visitam a cidade, mas é, sem dúvida, um dos mais bonitos. Antigo mercado de aves, o Leadenhall Market foi projetado pelo mesmo arquiteto da London BridgeLord Holford. Localizado na City of London, ao passar pelos seus corredores, você ainda pode notar os ganchos de metal que eram usados para pendurar aves. Hoje, ele é muito frequentado por executivos que trabalham no centro financeiro de Londres. Para os fãs da série Harry Potter, a loja onde o protagonista compra a varinha mágica fica lá.

21 – Monument – marco de uma tragédia

monument

Monument

Monument não é um desses pontos turísticos de Londres que vem logo à cabeça na hora de organizar um roteiro de viagem. Mas o lugar vale uma visita por duas razões bem diferentes. A primeira razão é histórica: o grande fogo que devastou Londres em 1666 foi um dos maiores acontecimentos da cidade e o monumento é uma lembrança da tragédia. A outra razão depende de uma certa disposição: quem encarar os 311 degraus que levam ao topo da edificação, será premiado com uma vista privilegiada da cidade. É cobrada entrada e menores de 13 anos só podem escalar os degraus se estiverem acompanhados.Para quem quiser ir um pouco além, vale a pena visitar o local onde ficava a padaria onde o incêndio teve origem. Mais informações, aqui

22 – Kew Gardens – Jardim Botânico de Londres

kew gardens

Kew Gardens

Este é um dos lugares mais incríveis que a capital londrina tem a oferecer ao turista. The Royal Botanic Gardens, mais conhecido como Kew Gardens, é, como o nome diz, o jardim botânico de Londres. Mas não é só isso: trata-se de um patrimônio universal da humanidade cujo valor para a ciência é inestimável. Ali se encontra a maior e mais diversa coleção botânica do mundo. Para o turista, são 212 hectares de área verde a serem explorados. São muitas as atrações: o Jardim de Inverno da Princesa, estufas que reproduzem florestas de outras partes do mundo, exposições ao ar livre, inúmeros jardins, cafés, restaurantes, o caminho por sobre as árvores e muito mais.  A entrada é paga e você pode organizar a sua visita e compra o seu ingresso online. Reserve pelo pelo 5 horas para o passeio.

23 – Greenwich – parque, relógio, observatório

royal obervatory

Hora de Greenwich

Quando se fala em Greenwich, pode-se estar falando do parque, da hora, da vila, do mercado. Por isso, uma ida a este lugar muito especial no sul da cidade é uma boa escolha. Dos 8 parques reais que existem em Londres, 3 ficam fora da região central da cidade. Greenwich é um deles. A grande atração local é, sem dúvida, o relógio que marca a famosa Hora de Greenwich. É partir dali que todos os relógios do planeta são acertados. Ao lado do relógio, fica o Observatório Nacional. Lá de cima, a vista é estonteante.

24 – St Katharine Docks – ponto turístico a ser descoberto

St katharine Docks

St Katharine Docks

Quando você descobre St Katharine Docks não consegue entender como é que um lugar bonito como assim, bem ao lado da Tower Bridge, consegue escapar aos olhos da maioria dos turistas. Anote aí no seu roteiro porque vale a pena ir 5 minutos além da famosa ponte, na margem norte do Tâmisa. Você vai descobrir um lugar muito especial. Tem muita arte ao ar livre, uma bela marina, cafés, pubs, restaurantes e boas fotos para levar na lembrança, estão à sua espera.

25 – Palácio de Kensington – a casa da Princesa Diana

kensington palace

Jardins do Palácio de Kensington

O Kensington Palace é uma das residências oficiais da realeza. Uma de suas moradoras ilustres foi a Princesa Diana. Hoje, o local é residência do filho dela, o Principe William e a sua esposa, Kate Middleton. A casa passou a ser residência para membros da realeza a partir do século XVII. Ela foi comprada William e Mary, que assumiram o trono conjuntamente, em 1689. Logo em seguida, eles encomendaram ao Sir Christopher Wren, o mesmo arquiteto da St Paul Cathedral, a tarefa de realizar uma grande reforma. Conhecer o Kensington Palace vale a pena pelo palácio em si, mas também pelos seus belíssimos jardins. A visita é paga. Para saber mais, acesse o site do palácio.

26 – St James Park – o jardim do palácio

st james park

St James Park

Pode-se dizer que este é o jardim do Palácio de Buckingham. Ele é o primeiro e o menor do chamados Royal Parks. Ele fica na extremidade da corrente de área verde quase que contínua formada por Kensington Gardens, Hyde Park e Green Park. O nome está ligado à região onde ele está localizado. O grande destaque do St James é o seu belo lago. É um passeio para você aproveitar quando for fazer uma visita ao Buckingham.

27 – Carnaby Street – a rua de Brigitte Bardot

carnaby street

Carnaby Street

Esta charmosa rua no tradicional Soho londrino é um convite irresistível para quem é apaixonado por compras. é uma rua só para pedestres, que você pode cruzar em poucos minutos. Na verdade, você não vai querer cruzá-la em tão pouco tempo. Cada vitrine exerce um poder de imã sobre o transeunte. Lojas de grifes consagradas e outras mais exclusivas, exibem as últimas tendências no mundo da moda. A Carnaby Street ganhou fama internacional quando, nos anos 60/70 passou a ser frequentada pela atriz francesa Brigitte Bardot. Se você curte compras, não deixa de passar por lá.

28 – Abbey Road – importalizada pelos Beatles

abbey studios

Abbey Road Studios

Uma das ruas mais famosas de Londres, dificilmente você vai passar pela Abbey Road sem ver alguém atravessando a faixa de pedestres imortalizada pelos Beatles. Mas a Abbey também é famosa pelos estúdios onde os “Meninos de Liverpool”, gravaram alguns dos seus maiores hits.  Passagem obrigatória para quem é fã dos Beatles, claro.

29 – Tate Modern – templo da arte contemporânea

Tate Modern

Tate Modern

A Tate é uma das mais importantes galerias de arte contemporânea do mundo. Grandes obras de artistas do século XX e XXI fazem parte do seu imenso acervo. Ali também são promovidas algumas das mais importantes exposições do calendário de eventos artísticos europeu. A visita ao acervo permanente da Tate é grátis, mas você paga para ter acesso às exposições temporárias. Vale a pena ir à sacada do café no 7º andar para ter um bela vista da cidade.

30 – Borough Market –  maior mercado gastronômico do Reino Unido

Borough Market

Borough Market

Nos últimos anos Londres tornou-se um dos grandes centros gastronômicos mundiais. É uma cidade onde você vai encontrar restaurantes e culinárias de todas as partes do planeta. A gastronomia também é parte importante na vida dos mercados londrinos. No caso do Borough Market, ainda mais, uma vez que ele é um mercado essencialmente dedicado à comida. É o maior mercado gastronômico do Reino Unido. Na sexta já há bastante movimento por lá, mas ele bomba mesmo é no sábado. Chegar é muito fácil. Fica ao lado da London Bridge Station, que é servida por linhas de metrô, trem de superfície e ônibus.

31 – Museu de Londres – a história da cidade contada em museu

museu de londres

Museu de Londres

Passear pelos corredores do Museu de Londres é caminhar pela história da cidade. Em ordem cronológica, a história começa a ser contada ainda no período em que não havia sinais da presença humana em torno do Tâmisa. Foi a partir das margens do rio que a cidade se desenvolveu. O museu também guarda um pedaço da muralha que os romanos construíram para proteger a cidade. O passeio pelo museu que conta a história de Londres é grátis. Na verdade, não tem preço. Planeja e a sua visita aqui.

32 – Guildhall – marcas da fundação da cidade

guildhall londres

Guildhall Gallery

Este é outro lugar bacana da cidade que quase sempre é ignorado por quem vai apenas aos pontos mais badalados. O Guildhall é o coração da City of London, o lugar onde a cidade nasceu. Ali está a prefeitura da City, assim como o parlamento local. A City é uma região autônoma, uma cidade dentro de Londres. Indo até lá, não deixe de visitar a Guildhall Gallery, onde o destaque são as ruínas de um anfiteatro romano. Uma ótima opção para você dar uma esticada depois de uma visita à Catedral de São Paulo. Duas estações de metrô deixam você muito perto de lá: St Paul’s e Bank.

33 – Wimbledon – meca do tênis mundial

wimbledon

Wimbledon – Quadra Principal

Uma da mecas mundiais do Tênis, Wimbledon também é o principal destino dos apaixonados pelo esporte que visitam a cidade. Um passeio guiado pelo interior do complexo de quadras de grama é a melhor maneira de conhecê-lo por dentro. Você vai passar pela história do tênis neste lugar mítico. Para saber mais e planejar a sua visita, basta ir ao site.

34 – Soho – tradição do underground

soho

Soho

Já os apaixonados pela noite alternativa se encontram no Soho. O tradicional bairro londrino é o reduto do jazz, do teatro, das produtoras de cinema. São tantos os teatros na região que ela é conhecida como “teatrolândia”. O Soho também é território do público GLS. Com frequência, quem passeia pelas ruas do bairro se depara com bandeiras com as cores do arco-íris. Há também o submundo da indústria do sexo e das drogas. É um lugar que fascina, mas que também pode assustar.

35 – Covent Garden – mercado e artistas de rua

covent garden

Covent Garden

Há muito o que ver e fazer em Covent Garden, mas é bom estar preparado: é muito fácil se deixar levar pelas tentações e gastar mais do que você planejou. No interior do mercado, há uma impressionante oferta de objetos para decoração que dá vontade de levar para casa. Algumas das ruas estão repletas de lojas de grifes famosas, mas também há belas opções de lojas de roupas vintage. Uma das grandes atrações de Covent Garden são os artistas de rua: músicos, malabaristas, performers, enchem as ruas de criatividade. Além da estação de mesmo nome, Leicester Square, Charing Cross, Holborn e Piccadilly ficam de 5 a 10 minutos de distância. É só seguir as placas indicativas ou o seu GPS.

36 – Shakespeare Globe – marco de uma cultura

interior do globe theatre

Interior do Globe Theatre

Visitar o Shakespeare Globe Theatre é fazer uma viagem no tempo. O teatro é uma réplica do teatro onde um dos maiores dramaturgos de todos os tempos se apresentou e encenou algumas das suas peças. O teatro original foi destruído por um incêndio, em junho de 1613. A iniciativa de se construir uma réplica foi do ator norte-americano Sam Wanamaker. A partir do início da primavera até o final do verão, clássicos shakespearianos são encenados como nos tempos do autor. Durante o inverno, as apresentações acontecem na Wanamaker Playhouse. O “The Globe” é também um centro de estudos da obra de William Shakespeare. Visite o site para mais informações.

37 – Pubs – mais que um lugar para beber

pubs em londres

Tattershall Castle

Mesmo que você não aprecia uma boa cerveja ou qualquer bebida alcóolica, não é desculpa para deixar de conhecer essa instituição britânica chamada pub. A palavra é uma abreviação de “public”, que, no passado se referia à “public houses”. É uma herança deixada pelos romanos, que trouxeram para cá as tavernas. Conhecer pubs é chegar mais perto da cultura britânica, é interagir com o local. Também uma oportunidade para conhecer diferentes tipos de cerveja inglesas e europeias. Há muitas opções: pubs históricos, tradicionais, temáticos, pubs na beira do rio e pubs locais.  Se você tiver tempo e disposição, vale a pena fazer o que os ingleses chamam de “pub crawl”, um passeio de pub em pub. Só não vá exagerar.

38 – Aquário de Londres – show marinho

london aquarium

London Aquarium

Mais um programa ideal para toda a família. O mundo submarino bem às margens do Tâmisa e ao lado da London Eye. É um passeio para deixar as crianças encantadas. Se você vai levá-las, prepare-se para ficar por lá algumas horas. Tem um mundo de vida submarina para ver e elas não vão querer sair assim fácil. Se a família for grande, prepare o bolso, porque os preços são bem salgados. Quer se programar com antecedência? Visite o site.

39 – London Zoo – festa da criançada

london zoo

Lemur

Pinguins, macacos, uma enorme variedade de pássaros e animais com os quais os brasileiros não têm muita familiaridade. O Zoo é isso é muito mais. Além de excelente opção de lazer, principalmente para as crianças, o London Zoo é um grande centro de pesquisas. A localização também é perfeita, no belíssimo Regent’s Park, um dos mais bonitos da cidade, e às margens do Regent’s Canal. Informações sobre horários, como chegar lá e ingressos, aqui. 

40 – Cutty Sark – o museu que já foi barco

cutty sark

Ele já foi o mais rápido cargueiro dos mares durante o período do rico comércio do chá entre o Reino Unido e a China. O tempo passou e ele ficou ultrapassado. Foi rebaixado para outras rotas menos nobres. Quando encerrou a carreira, foi usado como navio-escola.  Finalmente, ancorou em Greenwich como atração turística. O Cutty Sark é um navio-museu que guarda em seu interior a memória dos tempos em que os britânicos eram os donos dos mares. Em 2007 o Cutty Sark sofreu sérios danos por conta de um grande incêndio, ocorrido durante uma fase de manutenção. Ele foi re-inaugurado pela Rainha Elizabeth II. Por aí já dá pra ver que vale a pena uma visita, não é mesmo? Informações e mais detalhes, aqui.

41 – Oxford Street – rua das compras

oxford street

Oxford Street

Famosa e sinônimo de boas compras, a Oxford Street é uma das ruas de Londres que podem entrar em um roteiro de viagem como atração turística a ser visitada. Mas mesmo que comprar não seja a sua prioridade, é bem fácil que você acabe passando por lá mesmo sem querer. Se isso acontecer, não custa nada um passeio pelas vitrines que tentam que quer comprar roupas, acessórios, perfumes e eletrônicos. Uma festa para os olhos, uma preocupação para o bolso. Cuidado.

42 – Spitalfields Market – um mercado com história

Spitalfields Market

Spitalfields Market

Este é um mercado que vem sendo mais frequentado a cada ano que passa. Ele fica em uma região com uma longa história de ocupação por diferentes nacionalidades, a começar pelos romanos. Irlandeses, franceses e, mais recentemente, nacionais de Bangladesh se fixaram ali. O mercado é rico em vestuários, objetos de decoração  e design. o seu interior, também existem pubs e restaurantes. Também vale a pena um passeio pela parte externa, onde tem muita loja de design moderno. A estação de trem e metrô mais próxima é Liverpool Street.

43 – The Shard – Londres até onde a vista alcança

the shard

The Shard

Prédio mais alto da Europa Ocidental, o The Shard mudou a paisagem londrina. São 11 mil placas de vidro, num projeto do famoso arquiteto italiano Renzo Piano, um dos responsáveis pelo Centre Pompidou, de Paris. O nome, que traduzido significa caco de vidro, é uma referência ao formato em forma de pedaçø de vidro pontiagudo.  São 360 graus com a cidade a perder de vista. Só para você ter uma ideia: é quase o dobro do que qualquer outro ponto da cidade pode oferecer. Praticamente um anexo da London Bridge, é muito fácil chegar lá. Você pode agendar a visita aos andares 68, 69 and 72, aqui. 

44 – Sky Gardens – o jardim mais alto da cidade

sky gardens londres

Sky Gardens

O que o The Shard tem de altura, o Walkie Talkie tem de charme e beleza. O prédio abriga o Sky Garden, o jardim mais alto de Londres. Ironicamente, o prédio ficou famoso por outro motivo. Uma combinação do design e material de construção fazia com que os reflexos do sol derretessem pinturas de carros estacionados nas proximidades do prédio. O problema foi resolvido. Hoje, os frequentadores vão ali para apreciar os jardins que ficam localizados nos 3 andares mais altos: 35, 36 e 37. Vale a pena gastar algum tempo no belíssimo Café e apreciar a vista que o Sky Garden proporciona. Você tem que reservar com antecedência e ir preparado para passar por procedimento de segurança semelhante a de aeroportos internacionais.

45 – London Dungeon – curte tomar susto?

london dangeon

Foto: London Dungeon

Este é um programa para quem curte tomar susto. Já na entrada, o London Dungeon mostra o espera o visitante que topa fazer um passeio pelo seu interior. Os cartazes da frente, a maquiagem de alguns funcionários e recepção, já mostram o propósito macabro do lugar. Inaugurado em 1974, ele surgiu como um Museu do Terror. Com o tempo, se transformou em uma casa de performance. Atores, cenários e efeitos especiais criam uma atmosfera tenebrosa, onde o visitante, querendo ou não acaba interagindo com as diversas performances. O Dungeon fica bem ao lado de um dos principais pontos turísticos de Londres, o London Eye. Para comprar ingressos online, aqui.

46 – Túnel do Grafite – camadas de arte de rua

tunel do grafite

Leake Street Tunnel

Situado bem ao lado da Ponte de Waterloo, esta é uma das poucas áreas de grafite livre na cidade. Dia e noite artistas de rua pintam sobre paredes e tetos do Weak Leake Street Tunnel, o Túnel do Grafite. Não há espaço vazio, então, os novos trabalhos vão cobrindo os mais antigos. A ideia do espaço partiu do anônimo e mais famoso artista de rua britânico, Banksy. Um passeio só recomendado para quem realmente é fã da Street Art.

47 – Banksy –  o anônimo famoso

 banksy em londres

Arte de Banksy em Shoreditch

Talvez ele seja o artista anônimo mais famoso do planeta. A fama de Banksy, nascido em Bristol, fez com que cada parede que ele pinta seja valorizada. É o único artista de rua que tem os trabalhos protegidos para evitar danificação ou mesmo roubo. Uma parede com um trabalho dele vira uma tela preciosa. Em Shoreditch, você pode conhecer dois trabalhos de Banksy na área externa do Cargo Club. Veja como chegar lá no mapa.

48 – Black Cab – o táxi que é uma marca

black cab

Black Cab

Tudo bem que Nova Iorque tem o táxi amarelo, mas vamos concordar: nenhuma cidade tem um táxi tão representativo quando a capital inglesa. Independente dos tempos modernos, representados pelo Uber, o Black Cab é uma autêntica instituição inglesa. Nem sempre preto, como o nome sugere, ele é diferente por fora e por dentro. É único. Por isso, vale a pena reservar algumas libras para uma volta pela cidade a bordo do táxi que é um símbolo de Londres.

49- Millennium Bridge – só para pedestres

millennium bridge

Ponte do Milênio

A bela Millennium Bridge é uma das duas pontes de pedestres que cruzam o Tâmisa, em Londres. Ela foi inaugurada duas vezes. Isso mesmo, duas vezes. A primeira em 2000, como parte das comemorações da chegada do terceiro milênio. O problema é que ela logo ganhou o apelido de “Wobbly Bridge” (ponte que balança), dado pelos pedestres. Ela foi fechada para reformas e re-inaugurada em 2002. Cruzando de lado sul, bankside, em direção ao norte, você tem um vista espetacular da St Paul Cathedral. No sentido oposto, você tem a Tate Modern, bem à sua frente.

50 – Albert Hall – o show não pode parar

albert hall

Albert Hall

O Albert Hall é mais uma das marcas da era vitoriana na cidade. O Príncipe Albert, marido da Rainha Victoria, foi uma das mais influentes figuras da época. Só na região onde está o Albert Hall, você também tem o Albert Memorial e o Victoria & Albert Museum. Isso já dá uma dimensão da influência do príncipe exercia durante o reinado da esposa. Ele é mais que uma casa de shows, é um verdadeiro templo de celebração da cultura. Anualmente, são mais de 350 shows, incluindo música clássica, pop, rock, dança, grandes eventos de premiação e até cinema. Você pode ir a um show ou simplesmente fazer uma tour guiada.

51 – Wembley – mais um gol que Pelé não fez

estádio de wembley

Wembley

Este, claro,não é o Wembley original, inaugurado em 1923. O mítico Wembley, o estádio que jamais viu um gol de Pelé, foi demolido e deu lugar ao estádio moderno da foto. A nova versão foi inaugurada em 2007. Ali, os principais eventos esportivos são os jogos da seleção inglesa. É um passeio só indicado a quem é fã de futebol. Não é por conta da beleza do estádio, mas da localização. Especialmente se você está visitando a cidade por poucos dias, o bairro de Wembley fica muito distante do centro. Aos fãs, o recomendado é uma tour guiada.

52 – Little Venice – pedaço de Veneza em Londres

little venice

Little Venice

Traduzindo: uma pequena Veneza dentro de Londres. Só pela referência já vale a pena visitar esse pedaço do Regent’s Canal que tem um pouco da beleza de uma das cidades mais fascinantes do mundo. Dica: escolha um dia de sol e vá no final da tarde. O resto nem precisa sugerir, você vai passar alguns momentos inesquecíveis. A estação de metrô mais próxima é a Warwick Avenue Station, Bakerloo Line.

53 – Churchill War Rooms – memórias da guerra

churchill war rooms

Churchill War Rooms

Sir Winston Churchill é considerado o mais importante Primeiro-Ministro na história do Reino Unido. A razão é simples: Churchill liderou os britânicos na resistência e vitória dos aliados sobre o nazismo, durante a Segunda Grande Guerra. Para quem curte história, visitar os Churchill War Rooms, onde decisões cruciais foram tomadas durante a guerra, é um belo programa. Acesse aqui para organizar a sua visita.

54 – Museu de Cera Madame Tussaud – o mundo do quase real

madame tussaud

Madame Tussaud Museum

Este é um museu que exerce um fascínio especial sobre milhões de pessoas. É um dos grandes pontos turísticos de Londres. O nome vem da escultora francesa Marie Tussaud, que fazia trabalhos em cera. No museu, são reproduzidas esculturas de personalidades famosas, em tamanho natural. São tão perfeitas que atraem milhões de pessoas que vão ali para ficar lado a lado com os seus ídolos. Só não dá pra pedir o autógrafo. Outra coisa: o sucesso do museu levou à multiplicação de filiais, mas o de Londres, na Marylebone Road, é o original. Ingressos online, aqui.

55 – Museu da Ciência – evolução humana através do conhecimento

museu da ciência londres

Science Museum

Poucos programas conseguem juntar tão bem entretenimento e aprendizado como uma visita a este museu pra lá de especial. Localizado na Exhibition Road, onde também ficam o Victoria & Albert e o Museu de História Natural, é um espaço dedicado ao conhecimento. Perfeito para levar os filhos na idade em que a curiosidade deles está mais aguçada. Quem é apaixonado por ciência não vai querer sair de lá. Reserve pelo menos umas 3 horas para este passeio e para ficar com uma vontade danada de voltar. A entrada é grátis e uma das saídas da estação de South Kensington vai deixar você praticamente dentro do museu. É só seguir a sinalização. você pode planejar a sua visita no site do museu.

A gente fica por aqui. Você sentiu falta de um ou mais pontos turísticos de Londres? Fique à vontade para enviar a sua sugestão, nos comentários, aí embaixo. Você é sempre bem-vindo.