siga-nos no facebook >

canallondres

the british museum – o museu britânico

Existem inúmeras razões que tornam obrigatória uma visita ao The British Museum, o Museu Britânico. Você pode ir só para tirar fotografias; porque é apaixonado por  história; porque quer ver de perto a famosa Pedra de Roseta ou a estátua de Vênus. Pode ir até para protestar contra os saques que os britânicos realizaram mundo afora para formar este imenso acervo, de valor incalculável. Todas elas razões são válidas. O que você não pode deixar de fazer é, vindo a Londres, deixar de conhecê-lo. Na sequência, as fotos só reforçam a importância do Museu Britânico.

museu britânico

British Museum

Descubra mais:

55 pontos turísticos para visitar em Londres

30 museus e galerias de arte em Londres

Egito e Grécia no The British Museum

Mesmo sabendo que você vai encontrar uma das maiores coleções do mundo dentro de um museu, você só tem uma ideia da dimensão do espaço depois que entra no The British Museum. Por isso, é importante chegar lá com a visita minimamente planejada. Principalmente se você está fazendo uma viagem curta, de 3 a 5 dias em Londres. Como a cidade tem muita coisa para ser vista, você só vai poder gastar até 4 horas dentro do museu. Neste caso, a dica é concentre-se nas áreas dedicadas ao Egito e à Grécia. Se você puder, faça a visita com guiada com áudio. Você vai aprender muito mais em menos tempo. Senão, tá valendo também.

grecia no british museum

Parthenon

O Parthenon

Digamos que você escolha ver apenas as salas dedicadas ao Egito e à Grécia, tem muita coisa para um só algumas horas. Ou mesmo um dia. No que diz respeito à Grécia, uma boa dica é ir ao Parthenon. Você vai se deparar com um autêntico retrato do que a Grécia representou para o desenvolvimento do mundo ocidental, em termos de arte e filosofia.

egito no british museum

Egito

Túnel do tempo

Visitar as grandes salas dedicadas ao acervo egípcio do The British Museum é entrar no túnel do tempo. Tudo o que você aprendeu a respeito da civilização que se desenvolveu às margens do Nilo se materializam diante dos seus olhos: esculturas, sarcofágos, múmias, artefatos, pedaços de construções, cada objeto conta a história da terra dos faraós.

roma

Os romanos

Obviamente, o Império Romano também é parte fundamental na formação do acervo do The British Museum. A razão é muito simples: não se pode contar a história da civilização ocidental sem passar por Roma. No caso dos ingleses e dos londrinos, em particular, a conexão é ainda maior: os romanos são os fundadores de Londres e deixaram marcas da presença deles por todo o país.

etruscos

Etruscos

Oriente-se e peça orientação

Em um espaço com tanto para ver, a sua visita ao museu é facilitada. Desde a entrada, você pode pegar um mapa com todas as salas numeradas. Lá dentro, mesmo que você esteja perdido, calma, basta seguir as indicações. Outra coisa: sempre há um funcionário do museu por perto e disposto a ajudar. Para falar com ele, basta um inglês básico. Eles são treinados para falar com turistas de todas as partes do mundo, com diferentes sotaques e níveis de inglês. Portanto, nada de inibição.

venus

Venus

Uma das lições

Um dos principais objetivos desse post é mostrar a você que depois da sua primeira visita, você vai olhar o mundo lá fora de um jeito um pouco diferente. Mesmo que você não perceba, terá aprendido algo de novo. Então, quando olhar o movimento nas ruas, os prédios novos e antigos, as pessoas que passam, você vai perceber que fazemos todos parte do mesmo mundo, que  começou antes dos egípcios, dos etruscos, dos gregos, dos romanos, e que vai além dos nossos contemporâneos. E pode até se perguntar: o que deixaremos como legado nos museus do futuro? Mas esta é apenas uma das reflexões a a se fazer, nesta visita, cada visitante tem direito a tirar a sua própria lição.

os helênicos

Grécia Antiga

Dicas finais

Você decidiu que, definitivamente, vai visitar o The British Museum, então, o que fazer? Nada mais fácil. Se você olhar no mapa, vai perceber que o Museu Britânico fica praticamente no meio de um quadrado formado por 4 estações de metrô: Tottenham Court Road, Goodge Street, Russell Square e Holborn. De qualquer uma delas, você vai andar, no máximo,  10 minutos até o museu. Ou seja, com uma localização privilegiada assim, não tem erro. O museu só fecha durante 4 dias por ano: em dezembro, nos 24, 25, e 26, e no primeiro dia do ano. ele abre diariamente das 10 às 17:30, mas na sexta fica aberto até mais tarde: 18:30, com exceção da sexta-feira da semana santa. A entrada é grátis. Para informações mais detalhadas, visite o site.

crece pelo