westminster – uma cidade dentro de londres

o big ben, o palácio, a ponte, a escultura

A City of Westminster é uma das duas regiões de Londres que são denominadas como cidades. A outra é a City of London. E a nossa guia de turismo credenciada, Vania Gay, abre o nosso vídeo falando sobre estes dois lugares muito especiais da capital londrina. Se a City of London é o centro histórico e financeiro, Westminster é o centro do poder político. Daí, vem o ditado, citado por Vania: “em uma se ganha dinheiro e na outra se gasta”. Não conhecer estes dois territórios londrinos é como nunca ter visitado a capital da Inglaterra. Mas mesmo quem conhece pode ficar surpreso com o que tem a aprender em nosso vídeo acima. E o melhor: ele é  apenas o primeiro de uma série para você ficar por dentro dessa região tão especial da capital inglesa.

big ben

Westminster –  centro do poder

Além das duas “cities” a cidade é dividida em 32 Boroughs, regiões com autonomia administrativa, cada uma com o seu prefeito. Politicamente, como já afirmamos, Westminster é a mais poderosa entre todas elas. Basta dizer que, dos 3 prefeitos que a cidade já teve, 2 vieram de lá. Para quem está surpreso com a pouca quantidade de prefeitos da cidade, uma explicação: até o ano 2000, quando Ken Livingstone foi eleito, a Grande Londres não tinha um prefeito.

Hotéis em Londres

O poder da City of Westminster é simples de se constatar: ela concentra as sedes de todos os poderes do Reino Unido: o Parlamento Britânico, onde funcionam as Casa dos Comuns e a Casa dos Lordes; 10 Downing Street, residência oficial do Primeiro Ministro; a Suprema Corte, mais alta instância judicial: a Abadia de Westminster, representando a Church of England, a igreja oficial; e o Palácio de Buckingham, sede da realeza. Ao longo da nossa série você vai conhecer mais sobre cada um deles, com mais detalhes.

city of westminster

Vania Gay

Grandes atrações turísticas

Mas Westminster também rica por conta do dinheiro que se gasta ali. A explicação é simples: alguns dos cartões postais mais visitados do mundo estão ali. De todos, o mais famoso é o Big Ben, relógio que fica na Torre Elizabeth. Difícil imaginar um momento do dia ou da noite em que alguém não esteja fotografando o Big Ben. Faça chuva ou faça sol. Por conta do relógio famoso, a ponte de Westminster está frequentemente congestionada de turistas.

Descubra mais:

Um passeio por uma das regiões mais sofisticadas de Londres

Uma curiosidade: embora fique no lado oposto do rio, é de Westminster que se tem a melhor visão de outro cartão postal londrino: a London Eye, a famosa roda gigante. Outras grandes atrações turísticas são o St James Park e o Buckingham Palace. Consequentemente, é grande a concentração de negócios voltadas para o turismo: cafés, pubs, lojas de souvenirs, agências de turismo, empresas que promovem tours, museus, teatros, entre outros.

london eye

A segunda ponte de Londres – duas vezes

A ponte de Westminster também tem uma história à parte, como conta Vania. Ela é a segunda ponte com o mesmo nome e foi projetada no estilo barroco pelo mesmo arquiteto do palácio,Sir Charles Barry. Também foi a segunda ponte construída sobre os Rio Tâmisa. Durante séculos, a London Bridge foi a primeira e única. Você também vai notar a cor verde dos muretas laterais. Trata-se de uma referência à cor dos assentos dos parlamentares na Casa dos Comuns. A cor vermelha, da Casa dos Lordes, pode ser vista na ponte vizinha: Lambeth.

anexo do parlamento

Quando o parlamento ficou pequeno

Bem no lado oposto ao Big Ben há um prédio de fachada bem mais moderna que os dos vizinhos ilustres. Ele se chama Portcullis House e a diferença em relação aos vizinhos se explica: ele foi aberto em 2001, pela Rainha Elizabeth II. O projeto é do renomado arquiteto Michael Hopkins. Uma vez que o Parlamento ficou pequeno para abrigar todos os seus membros, ele foi projetado para ser um anexo do prédio principal. Ali foram construídos mais gabinetes para os parlamentares. Quem passa na sua frente não imagina que há uma passagem subterrânea ligando os dois lados da rua.

estátua da rainha boudica

A rainha de ferro

Certamente, você já ouviu falar na expressão “Dama de Ferro“. Ela era usada para designar a primeira mulher a assumir o posto de Primeira Ministra no Reino Unido, Margaret Thatcher. Pois bem, em nosso vídeo, Vania revela que ela que, se foi pioneira no cargo, ela não foi a primeira mulher a merecer o título de Dama de Ferro. A honraria cabe a uma rainha que viveu ainda nos tempos em que os romanos ainda ocupavam as ilhas britânicas. Estamos falando dos anos 40. O nome dela era Boudica, ou Boudicea, rainha de uma tribo Celtic Iceni, inimiga dos romanos. Mas por que o título de “Dama de Ferro”.

palácio de westminster

Vania conta com mais detalhes a história da Rainha Boudica, mas a gente vai deixar um aperitivo aqui no texto. o chefe da tribo Celtic Iceni era o  marido de Boudica.  Ele fez um tratado com os romanos que deveria ser cumprido a morte dele. Os romanos não cumpriram o tratado e foram muito violentos, tanto com a Rainha Boudica como com as filhas. A vingança foi na mesma moeda. Junto com membros de outras tribos ela liderou uma revolta que culminou com um incêndio que destruiu Londínio, que era como Londres era chamada na época. Isso aconteceu pelos anos 60DC.

westminster palace

Como você já deve ter notado, há muito para ver e para aprender nesta que é uma cidade dentro da capital da Inglaterra. Depois do nosso vídeo, mesmo você que já passou por ali, já tirou fotos do Big Ben, da ponte, do Parlamento, da London Eye, vai ver Westminster com outros olhos. Vai ver com o olhar de quem conhece um pouco da história que fez desse lugar um dos mais visitados da cidade. Mãos ao player.

crece pelo